08-10 – Pra Você Bandido Bom É Bandido Morto?

coronel_david

Uma pesquisa Datafolha encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública constatou que metade da população das grandes cidades brasileiras acredita que “bandido bom é bandido morto.”

O instituto ouviu 1.307 pessoas em 84 cidades com mais de 100 mil habitantes no País. Para a pergunta se bandido bom é bandido morto, 50% disseram concordar, 45% discordaram e o restante não soube responder ou não concorda nem discorda.

O sul é a região que apresenta a maior quantidade de pessoas que concordam com a frase, com 54% concordando e 37% discordando. Na região Centro Oeste/Norte, 52% são favoráveis e 43% são contra a afirmação.

Sinto discordar desta pesquisa. Os números são irreais. Não representam a opinião dos brasileiros a respeito deste tema. O cotidiano mostra que grande parte dos brasileiros já não acredita no sistema de punição legal existente no país, seja pelas leis penais fracas, seja pela opinião de alguns juristas e políticos que acham que o esvaziamento dos presídios é solução para os graves problemas da segurança pública do país. Acrescente-se aí um sistema penitenciário lotado e sem condições mínimas para ressocializar a maioria dos internos. Estes quando saem para as ruas sabem que podem delinqüir novamente, pois ficarão pouco tempo presos. E se permanecerem presos eles serão sustentados pelo dinheiro dos contribuintes e contemplados com a progressão da pena, tornando o cumprimento da pena um “mamão com açúcar”. Por não confiar no sistema punitivo o cidadão entende que antes o bandido do que ele.

Creio até que a intenção de quem fez a pesquisa era mostrar o quanto a sociedade é injusta, conservadora e “fascista”, um termo muito dito pelos revanchistas atualmente. Parece até que querem culpar a sociedade dos males dos quais ela é a maior vítima.

O povo não agüenta mais tanta violência. Os “especialistas em segurança” sempre apontam a polícia como a maior responsável em não conseguir dar a tranqüilidade necessária ao cidadão, porém esquecem-se, ou fingem não saber, que à polícia cabe apenas tratar das conseqüências da violência. Além da falta de estrutura e de efetivo, as polícias não podem ser responsabilizadas se os governos falharam em não oferecer uma educação de qualidade, uma economia robusta e as condições estruturais necessárias para o desenvolvimento do país. Não resta dúvida que a ausência destas questões produz desigualdades, que acabam por gerar vários motivos para o aparecimento da violência.

A posição dos que concordam com a máxima “bandido bom é bandido morto” representa um grito de legítima defesa e de protesto contra um Estado inoperante, que não assegura condições mínimas de proteção e segurança à população, pelas várias razões aqui explanadas. Desejar a morte do agressor é um anseio presente em sociedades marcadas pelo crescimento da criminalidade e pelas omissões do poder público.

Se tiver alguém que não está satisfeito com esta posição, que, convenhamos, é bem maior do que este apresentado pelo Datafolha, cobre do Estado brasileiro para que tire os bandidos das ruas. Que eles fiquem realmente presos, porque lugar de bandido é na cadeia.

Mas, enquanto isso não acontece, prá você “bandido bom é bandido morto”?

Comentários

comentários